27 março 2010

RENATO RUSSO


Afirmar que RENATO RUSSO não morreu, ao menos na memória de milhões de brasileiros, é tão simples como ouvir uma de suas canções e deixar que a saudade vá buscar no tempo um momento de nossas próprias vidas.

O grande líder do LEGIÃO URBANA nasceu no dia 27 de março de 1960, e hoje estaria fazendo 50 anos de idade, sem perder, com certeza, a condição de condutor de um dos maiores movimentos musicais do Brasil, o nosso rock, que dele recebeu criações sempre marcadas pela irreverência, protesto e muita poesia. Em suas letras,  RENATO pregava que é possível mudar, se houver persistência na luta pelo objetivo perseguido, seja ele material, espiritual ou político.



Carreira

RENATO RUSSO fundou a primeira banda punk no final dos anos 70, em Brasília, a ABORTO ELÉTRICO. Em 1982, surgiu o LEGIÃO URBANA, grupo que se expressava com letras sobre política, amor e juventude. Os sucessos Geração Coca-Cola, Será, Eduardo e Mônica, Pais e Filhos e Que País É Esse? são considerados até hoje verdadeiros hinos da garotada, e porque não dizer, de muita gente mais antiga, como eu, por exemplo.


Álbuns

RENATO lançou sete álbuns de estúdio: LEGIÃO URBANA (1984), DOIS (1986), QUE PAÍS É ESSE? (1987), AS QUATRO ESTAÇÕES (1989), V, (1991), O DESCOBRIMENTO DO BRASIL (1993) e A TEMPESTADE (1996). A coletânea MÚSICAS PARA ACAMPAMENTOS (1992) saiu em disco duplo, com diversas gravações ao vivo.

Dois álbuns solo também chegaram às lojas: THE STONEWALL CELEBRATION CONCERT (1994) e EQUILÍBRIO DISTANTE (1995), o primeiro com músicas em inglês e o segundo em italiano, que vendeu mais de 1 milhão e 250 mil cópias.

Sua discografia póstuma é ainda maior: com o LEGIÃO URBANA, no ano seguinte à sua morte, foi lançado o disco UMA OUTRA ESTAÇÃO (1997), só com músicas inéditas, a coletânea MAIS DO MESMO (1998) e três álbuns ao vivo: ACÚSTICO MTV (1999), COMO É QUE SE DIZ EU TE AMO (2001) e AS QUATRO ESTAÇÕES AO VIVO (2004).

Na carreira solo, o lançamento de O ÚLTIMO SOLO (1997) foi seguido de três coletâneas de sucessos e mais três álbuns: PRESENTE (2003), O TALENTO DE RENATO RUSSO (2004), O TROVADOR SOLITÁRIO (2008), e agora, em abril de 2010, chega às lojas o disco DUETOS, com várias faixas inéditas.

RENATO RUSSO assumiu sua condição de homossexual em uma polêmica entrevista à revista BIZZ, em 1990. Morreu em decorrência da Aids, doença que ficou em segredo até seus últimos momentos de vida.


Sobre o Autor:
Carlos Roberto Carlos Roberto de Oliveira é advogado estabelecido em Nova Iguaçu - RJ. A criação do Dando Pitacos foi a forma encontrada para entreter e discutir assuntos de interesse geral.

Cadastre seu e-mail e receba nossas postagens

Blog Widget by LinkWithin

6 comentários:

  1. Grande Renato Russo, ele faz muita falta na música brasileira.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. O Legião Urbana faz parte da história da música brasileira. O Renato Russo faz parte dessa história. E detalhe: ela não tem idade limite. As músicas dele são lembradas e cantadas a todo momento por todo o Brasil, por crianças, adolescentes e pelo pessoal mais antigo. Ele é uma unanimidade, e como diz a Juliana Pires, "faz muita falta na música brasileira".

    ResponderExcluir
  3. Grande Renato Russo, um ídolo eterno.

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto muito das músicas do Legião.
    É uma pena que se acabou "sedo demais".

    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  5. Uma saudade que não vai morrer. Viva Renato Russo!

    ResponderExcluir
  6. Ás pessoas riem de mim por gostar de Legião Urbana, falam que é ''paia'', que é banda de velho, mas elas não sabem, que Renato nos deixou a herança de suas músicas e que essa banda não tem idade certa para gostar(mesmo para uma garota de 12 anos), pois está ETERNIZADA na música brasileira.

    ResponderExcluir

A existência de qualquer blog depende da qualidade do seu conteúdo, e mais do que nunca, do estímulo de seus leitores. Por isso, não saia sem deixar seu comentário!