06 junho 2009

AS PERNAS CURTAS DE UMA MENTIRA


Assista o pronunciamento que o Ministro CARLOS MINC fez à nação ontem (05/06), DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE!



video


Você prestou atenção no que disse o MINC? Nós aqui do blog prestamos, e quase chegamos à conclusão de que no BRASIL não há problemas ambientais!!!

Mas esse é o jogo do Governo Federal. Esse é o jogo da politicada verde e amarela quando o assunto é o meio ambiente. Com raríssimas exceções, ninguém está realmente interessado no assunto. O negócio é "fazer parecer" que o interesse existe. O importante é manipular, é manter anestesiada a mente do cidadão, o que não é muito difícil, se considerarmos o poder dos marqueteiros oficiais e a fábula de dinheiro que o Planalto desembolsa nesse tipo de manobra. Manter o poder não é gasto, é investimento!

Mas como diziam nossos avós, a mentira tem pernas curtas! A reportagem abaixo foi publicada pela revista GLOBO RURAL no dia 05/06, um dia antes da comemoração do DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE e do pronunciamento de CARLOS MINC, e nós resolvemos postá-la aqui no blog apenas para mostrar que o nosso objetivo não é a crítica pela crítica. Ninguém vem aqui entregar parte do seu tempo, até porque somos cidadãos e cidadãs com ocupações laborais, família, filhos, apenas para criticar graciosamente governantes e políticos. O que não aceitamos e fazemos questão de registrar, é a mentira sem-vergonha, a imoralidade, a demagogia canalha!

Leia o texto com atenção:



Amazônia na mira


No dia do meio ambiente, especialistas colocam a pecuária na Amazônia em destaque nas questões a serem abordadas na Conferência de Copenhagen


(05/06/2009) Texto: Bruna Ferreira




Amazônia: desmatamento da floresta será um dos pontos mais importantes nas discussões em Copenhagen


Quase o tamanho do Paraná. Em apenas três meses, uma área de 197 quilômetros quadrados de florestas foi devastada na Amazônia. E esse número pode ser maior, pois, segundo o Inpe - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, no período analisado (fevereiro a abril de 2009) as nuvens impediram uma análise completa. Nunca a necessidade de preservação da floresta amazônica se tornou tão urgente, tão discutida e tão possível.

No mês de dezembro, acontecerá uma das mais aguardadas reuniões sobre meio ambiente em Copenhagen, na Dinamarca. Entre os dias 7 e 18, os maiores líderes mundiais estarão reunidos na 15ª Conferência do Clima para fechar o acordo que substituirá, em 2012, o Protocolo de Kyoto - o grande compromisso ambiental firmado entre 84 países-membros, do qual os americanos se retiraram em 2001.

O maior motivo para as renovadas expectativas diz respeito ao jovem senador que virou presidente dos Estados Unidos. 'Desde a eleição de Barack Obama, houve uma mudança qualitativa enorme, já que o ex-presidente George Bush chegava a dizer que os relatórios sobre meio ambiente eram invenção para prejudicá-los', diz Sérgio Leitão, diretor de campanhas do Greenpeace Brasil. Os EUA são o segundo maior poluidor do mundo (só perdem para a China) e vêm tomando a frente nos debates internacionais. 'Deixou de ser observador para se tornar protagonista', afirma o coordenador da Embrapa Informática Agropecuária, Eduardo Assad.

No entanto, todos os países estão se mobilizando. O Brasil terá duas grandes contribuições para a conferência. A primeira diz respeito ao etanol, como um dos maiores programas de substituição da queima de combustíveis fósseis. Mas o mais polêmico dos tópicos será realmente o desmatamento da Amazônia.


Etanol de cana-de-açúcar brasileiro é visto como grande alternativa para reduzir queima de combustíveis fósseis


Há uma grande pressão interna e externa para o país zerar a devastação da floresta, e o principal agente do problema é a pecuária da região. A cadeia de produção pecuária na Amazônia está historicamente ligada à ilegalidade e à grilagem, ainda que com exceções, e a queima de floresta viva para transformação em pasto será um dos temas mais combatidos em Copenhagen.

Segundo Carlos Nobre, climatologista do Inpe, os maiores interessados nas decisões sobre o desmatamento são justamente os pecuaristas, ou melhor: os pecuaristas sérios. 'É preciso aumentar a produtividade, e não a área ocupada por pastagens. E o setor deve ser o mais interessado em diminuir o desmatamento e intensificar a agropecuária'.

A última campanha do Greenpeace, 'A Farra do Boi na Amazônia', divulgou recentemente um relatório que aponta que 80% dos desmatamentos na floresta (que corresponderiam a 14% das derrubadas de matas em nível mundial) são resultantes da pecuária na região. A CNA - Confederação da Agricultura e Pecuária e a Abiec - Associação das Indústrias Exportadoras de Carne decidiram iniciar uma ofensiva contra a ONG.

Ainda que os dados possam ser revistos, ao que tudo indica o pecuarista não precisa ser prejudicado. Para Assad, tudo é uma questão de políticas públicas: 'o ministério da Agricultura está atento ao projeto de desmatamento zero na pecuária. E o criador ou o agricultor não vai ficar na mão, pois já existem ações do ponto de vista tecnológico, mostrando que o criador não necessita de métodos depredatórios para ter produtividade', diz o coordenador da Embrapa.

Em meio a tantas opiniões, uma coisa é unânime: todos esperam que alguma coisa mude. No final do ano, serão colocadas em Copenhagen todas as dúvidas daqueles que assistiram à seca no Sul do Brasil e viram o Norte e o Nordeste debaixo d'água. Resolver a questão sairá caro? Carlos Nobre salienta que os custos valerão a pena. Mas nos últimos meses, parece que todos os brasileiros já tomaram consciência disso.


Confira os dados fornecidos pelo INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPECIAIS - INPE clicando aqui.


Sobre o Autor:
Carlos Roberto Carlos Roberto de Oliveira é advogado estabelecido em Nova Iguaçu - RJ. A criação do Dando Pitacos foi a forma encontrada para entreter e discutir assuntos de interesse geral.

Cadastre seu e-mail e receba nossas postagens

Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

  1. Assisti ao pronunciamento do Minc, ontem. Mas fiz questão de ver o vídeo prá ter certeza de que não me enganei. Realmente, como está no texto, parece que o Brasil é o paraíso da preservação ambiental.

    É absurdo, é uma vergonha! O sujeito não pode mentir de forma tão descarada e ficar impune!

    Não vamos calar!

    ResponderExcluir
  2. E vamos continuar não aceitando "a mentira sem-vergonha, a imoralidade, a demagogia canalha"!

    Enquanto eles fazem a parte deles, mentindo, nós fazemos a nossa, protestando!

    ResponderExcluir

A existência de qualquer blog depende da qualidade do seu conteúdo, e mais do que nunca, do estímulo de seus leitores. Por isso, não saia sem deixar seu comentário!