21 setembro 2009

DE CABRAL A LULA: MEIO SÉCULO DE TROCA-TROCA

Já me perguntei, em várias ocasiões, se o meu posicionamento em relação ao presidente LULA estaria correto, não que isso preocupe o Planalto, é claro, mas pela correção de comportamento que se quer manter com os leitores do blog. Afinal, todas as vezes que escrevo sobre ele, seu governo, partido e aliados é para criticar. Prá ser mais sincero, desde a primeira eleição ganha por ele, tento enxergar alguma coisa verdadeira em suas atitudes, mas não consigo.

Mas por que eu me aborreço tanto com a política demagógica e corrupta do governo LULA? Os que o antecederam também não eram corrputos e demagogos? Não são todos iguais? Sim, são todos rigorosamente iguais, infelizmente.

Mas LULA tinha que ser "diferente" em alguma coisa! Afinal, o povo o escolheu quase que como um deus, um salvador, um messias, um líder forjado na pobreza e pronto a defender os miseráveis com unhas e dentes, mas não foi isso o que se viu até aqui. Quando sua ficha caiu e ele sentiu o prazer quase orgásmico do poder, suas atitudes mudaram e ele abandounou os preceitos ideológicos que foram a base de toda a sua caminhada política, aliando-se ao que há de mais podre no parlamento brasileiro. Tudo pela manutenção do poder, primeiro em sua reeleição, e agora no processo de escolha de seu sucessor.

Eu só não esperava que ele próprio arrancasse do rosto a máscara que sempre o protegeu, que fosse pego pela própria palavra, justamente em cima de um palanque, onde aprendeu a jogar como ninguém o jogo sujo da política.

O vídeo abaixo registra dois momentos de sua trajetória: no primeiro deles, num recente encontro político em BELO HORIZONTE - MG, ele critica, com a delicadeza que lhe é peculiar, os opositores do "BOLSA-FAMÍLIA", menina dos olhos de seu governo e principal trunfo na eleição de sua sucessora, DILMA ROUSSEFF.

No segundo, num clip gravado no ano de 2000, quando o Planalto ainda era um sonho de consumo, LULA é o crítico do programa de distribuição de alimentos do governo de FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, que teria sido criado para aproveitar o "alto grau de empobrecimento" de parte da sociedade brasileira, que seria "conduzida a pensar pelo estômago e não pela cabeça", servindo como "peça de troca em época de eleição". No vídeo o então candidato LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA destacava ainda que a iniciativa despolitizava "o processo eleitoral" e tratava "o povo mais pobre da mesma forma que CABRAL tratou os índios quando chegou no BRASIL", tentando distribuir bitouterias e espelhos para ganhar sua confiança, mantendo intacta a lógica da "política de dominação que é secular no BRASIL".

Veja o vídeo e tire suas próprias conclusões!



video


Você acha que a "política secular de dominação" referida por LULA mudou com o PT?

Onde o "bolsa-família" de LULA é diferente do "bolsa-família" de FHC?

Não está a parecer que a distribuição de "bijouterias e espelhos" de CABRAL é igualzinha à distribuição de alimentos de FHC e LULA?

Por que LULA precisa mentir tanto?

Sobre o Autor:
Carlos Roberto Carlos Roberto de Oliveira é advogado estabelecido em Nova Iguaçu - RJ. A criação do Dando Pitacos foi a forma encontrada para entreter e discutir assuntos de interesse geral.

Cadastre seu e-mail e receba nossas postagens

Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

  1. Vai que é suuuuuuuaaaaa, Carlos Roberto!!!!! Colocou muito bem o que a maioria das pessoas sentem. Se um dia se candidatar, eu voto em você e faço campanha pra você de graça!!!!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Realmente impressiona o que um homem pode fazer pela manutenção do poder. O vídeo é bem esclarecedor nesse sentido. Ótimo texto, Carlos.

    ResponderExcluir

A existência de qualquer blog depende da qualidade do seu conteúdo, e mais do que nunca, do estímulo de seus leitores. Por isso, não saia sem deixar seu comentário!